Menu fechado

Serviço Social vale a pena?

Muitos nos perguntam se cursar Serviço Social é bom, se vale a pena, se dá dinheiro, se quando se forma vira um entregador de cesta básica etc. Então, trouxemos nesse post, de modo bem simples e resumido (inclusive de conceitos que precisariam de uma maior profundidade para serem devidamente compreendidos), algumas respostas para essas questões.

Sobre a profissão

Para poder atuar como assistente social, a pessoa deve cursar o Curso de Bacharelado em Serviço Social, ser inscrita no Conselho de Classe Profissional (CRESS no caso) e seguir sempre o Código de Ética Profissional.

Os assistentes sociais podem atuar em muitos campos de trabalho. Há quem se identifique com assistência social, previdência social, saúde, educação, pesquisa, segurança pública, empresas, esporte, ouvidorias, com projetos ou até mesmo no exército. O ideal é buscar essa identificação já na graduação, por exemplo, quer atuar na saúde? Faça um TCC sobre saúde! 

Além disso, a profissão tem um aspecto interessantíssimo: um projeto societário, ela defende uma sociedade justa, sem desigualdade, opressão, autoritarismo, violência, machismo, Lgbtfobia e vários outros ismos que assolam o exercício da cidadania plena numa sociedade tida como democrática. Escrevemos um post sobre o sentido da prática profissional do (a) assistente social, confira aqui!

Graduação

Na graduação em Serviço Social muita coisa é desmistificada. Sendo muito comum, de modo espontâneo por parte do (da) estudante, o rompimento de vários preconceitos e uma postura de defesa dos direitos sociais em prol da cidadania.

Três questões que são importantíssimas

Leitura: o curso de serviço social exige muita leitura. 

Aprender a falar em público: a profissão exige um profissional que, além do conhecimento teórico, metodológico e operativo, saiba falar bem em público. A mesma coisa vale para a escrita. O (a) assistente social lida com usuários de políticas públicas e escreve muitos laudos, relatórios, pareceres etc.

Compromisso: não se trata de uma questão de amor, vocação, fé etc. Durante a graduação você estuda o Código de Ética porque quando se formar vai ter que obedecê-lo – tudo que tem lá é imperativo para a categoria profissional. Então, o assistente social deve ter obrigatoriamente compromisso com a classe trabalhadora, justiça social, igualdade substantiva e tudo aquilo que o projeto ético-político profissional defende.

Aspecto financeiro

Existem assistentes sociais que ganham muito bem (minoria) e existem os mal remunerados (maioria), como em (quase) toda profissão. Não, não existe vaga para todo mundo, mas é possível sim buscar um lugar ao sol com tudo isso. Numa sociedade injusta que, por muitas vezes, os melhores postos de trabalho são por meio de cargos comissionados ou que exige alguma outra relação de troca, a solução é buscar ser 2x melhor: estudar muito, trabalhar muito, organizar-se muito e saber muito bem o que se quer.

Serviço Social vale a pena?

Vale, e vale muito! É uma graduação que deixa o (a) estudante atento (a) criticamente à questões que merecem toda atenção, podendo até desconstruir algumas ideias negativas que o estudante (uma prática machista ou racista, por exemplo). É uma profissão que ainda tem muito espaço de crescimento tanto a curto prazo (serviço social nas escolas, por exemplo) como no longo prazo (imagine o desemprego que vai existir com a expansão da robótica).
Gostou do conteúdo? Compartilhe com os (as) colegas para que nossos posts tenham mais alcance e possam ajudar mais pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *